Leitura do Rosto
Saiba mais a respeito dos traços de seu rosto.

Leitura do Rosto






Seu rosto fala por você,
Saiba mais!

Fisiognomonia

Galeria de Fotos

Podcast

Área do Usuário

Eventos & Palestras

A Grafologia e o Amor

Vida Saudável

Vida Saudável

Nosso Livro

Pensamento do Dia ( TWITTER)

O Medo do Abandono
Artigos - Artigos

Em alguns casos, chega ao ponto de quando uma criança mal tratada é afastada do ambiente agressivo, passa a demonstrar um profundo medo e o receio de estar perdendo algo muito importante para seu próprio equilíbrio e bem-estar. Esta situação não termina na fase infantil, pelo contrário, se estende pela fase adulta. Para muitas pessoas, enquanto o sentido de medo e segurança não for esclarecido continuam sofrendo uma forma de ambivalência, o conflito do medo versus a segurança e a sobrevivência.

Isto explica porque mulheres mal tratadas defendem seus maridos e voltam para estes ou vice-versa. Quando estas pessoas são questionadas sobre o que seria bom e o que seria ruim para elas, geralmente colocam o sentido de bom como segurança e abrigo e o ruim como ameaça e abandono. No fundo, a questão é: Com quanto medo você está disposto a viver?

A resposta está ligada ao quanto a nossa integridade pessoal for mais valorizada e tiver mais importância do que o medo e a segurança. Quando isto ocorre um novo estágio se inicia na vida de uma pessoa.

Nenhum de nós é o que pensa ser. Desde a infância formamos nossa identidade a partir de experiências limitadas e de conceitos e valores formados de fora para dentro. Com o passar dos anos desenvolvemos um perfil que, na verdade, é distante daquilo que realmente somos e vivemos em função da idéia que criamos a nosso próprio respeito.

Algumas pessoas, à medida que amadurecem, são capazes de perceber o contraste entre o que realmente são e o que pensavam ser. Outras passam praticamente a vida inteira vivendo através de uma identidade formada de fora para dentro.

Mesmo aqueles que conseguem perceber um pouco de sua verdadeira essência não conseguem se libertar rapidamente e desta forma substituir sua falsa identidade por aquilo que realmente são. O processo da autodescoberta e do autoconhecimento é sempre lento e gradual. Algumas pessoas só despertam através de situações de dor e sofrimento, outras ainda só conseguem romper a auto ilusão quando estão envolvidas com a morte.

Eu costumo dizer que quanto mais uma pessoa estiver distante de si própria, mais intenso é o seu medo. Uma vez perguntaram ao mestre qual era o verdadeiro desafio de nossas vidas, e ele disse: “Ser você mesmo”. Nesse sentido, os relacionamentos podem trazer muita realização e alegria, mas, para isto, é fundamental que se desenvolva a autoconsciência e que pratique a presença.